Pre Loader

Produto Alimentício ou Alimento Você sabe a diferença

Não é de hoje que o tema alimentação é assunto. Alimento in natura, comida de verdade, processados, ultraprocessados. E aí? Você sabe o que significa esses termos tão utilizados nos dias de hoje?

Segundo o novo guia alimentar, produzido pelo Ministério da Saúde em 2014, são 3 as categorias de alimentos:

In Natura: obtidos diretamente de plantas e animais (folhas, frutas, ovos e leite) direto para consumo sem que tenham sofrido qualquer alteração após deixarem a natureza.

Alimentos minimamente processados: são alimentos in natura submetidos a alterações mínimas antes de sua aquisição. Exemplos são os polidos, moídos em formas de farinhas, raízes e tubérculos lavados, corte de carnes resfriados ou congelados, leite pasteurizado, grãos secos, óleos, açúcar e sal.

Alimentos processados: são produtos fabricados com a adição de sal ou açúcar a um alimento in natura ou minimamente processado. Exemplos são legumes em conserva, frutas em calda, queijos, pães.

Ultraprocessados: várias técnicas e etapas de processamento, assim como vários ingredientes envolvem a fabricação desses produtos. Muitos desses ingredientes são de uso exclusivo da indústria de alimento. Exemplos são os refrigerantes, biscoitos recheados, salgadinhos de pacotes, macarrão instantâneo, dentre muitos outros como hambúrgueres, salsichas, nuggets, pratos prontos, sorvetes, balas, e a lista não termina.

Na edição de Setembro de 2017, foi capa no The New York Times: Como a Grande Indústria Viciou o Brasil em Junk Food. A principal reportagem assinada por Andrew Jacobs e Matt Richtel, mostra como gigantes da alimentação comercializam seus produtos tão ostensivamente que chegam a transtornar os hábitos alimentares tradicionais de países em desenvolvimento. O resultado desse consumo diário e exagerado de produtos alimentícios é que, na última década, a taxa de obesidade no Brasil quase dobrou para 20%, e a parcela da população com sobrepeso praticamente triplicou, indo para 58%.

Se já sabemos que alimentos in natura e minimamente processados, estão no topo da lista dos alimentos que devemos consumir com maior frequência, seguem algumas dicas práticas para ajuda – los no dia a dia:

1 – Crie o habito de ler o rótulo dos alimentos. Não se preocupe com a tabela nutricional. Muito melhor do que a caloria é saber o que tem naqueles produtos. De acordo com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária, através do regulamento técnico, define a listagem dos ingredientes de forma decrescente, o primeiro alimento da lista é o que está em maior quantidade no produto. Sendo assim, os três primeiros ingredientes são muito importantes para conseguirmos classificar esse produto. Se o primeiro ingrediente, por exemplo, é açúcar, ou se ele vem logo em segundo ou terceiro lugar, esse produto deve ser classificado como ruim. Fuja de produtos com conservantes, edulcorantes, aromatizantes artificiais, etc. quanto menos ingredientes na listagem, melhor!

2 – Aumente o consumo de alimentos in natura. Prefira frutas, verduras e legumes da época, além de serem mais baratos esses alimentos necessitam menor quantidade de agrotóxico.

3 – Diminua o máximo que conseguir o consumo de produtos alimentícios

4 – Fuja de produtos enriquecidos com vitaminas e minerais

5 – Faça suco em casa ou consuma a fruta

6 – Invista um dia da semana programando a sua alimentação

Será que não está na hora de mudar a lista de compra de supermercado?

Um beijinho da nutri!!

Fonte: https://www.nytimes.com/2017/09/16/health/brasil-junk-food.html; www.saudems.gov.br; portalanvisa.gov.br

Ainda não há comentários.

Deixe um comentário

Your email address will not be published.